Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pierre Krahenbuhl, comissário-geral da ONU para a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Próximo Oriente (UNWRA), é visto em 5 de agosto de 2014, em Amã

(afp_tickers)

A Jordânia propôs nesta terça-feira ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução que pede o levantamento do cerco israelense à Faixa de Gaza e um plano para reconstruir o território, segundo diplomatas.

"Apresentamos um projeto de resolução em colaboração com nossos amigos palestinos e o grupo árabe" na ONU, afirmou à imprensa a embaixadora jordaniana Dina Kawar.

Kawar declarou que tem esperança de que a trégua de 72 horas acordada por Israel e pelo Hamas "se converta em permanente" e conduza a negociações, e que "a reconstrução de Gaza tenha um plano". "É muito importante para nós", acrescentou a diplomata.

Já tiveram início as consultas sobre o projeto jordaniano com a expectativa de ter um resultado em um ou dois dias, indicou. A Jordânia é o único país árabe que integra o Conselho atualmente.

O embaixador britânico Mark Lyall Grant confirmou a apresentação do projeto nesta terça-feira pela Jordânia, o que será discutido nos próximos dois ou três dias.

Ele destacou que a situação evolui rapidamente em terra com a instauração da trégua e o início das negociações no Cairo e que a partir de agora é preciso adotar um enfoque um pouco diferente.

O projeto pede "um cessar-fogo duradouro e respeitado" e apoia os esforços de mediação do Egito.

Também destaca a necessidade de proteger os civis e respeitar a inviolabilidade dos locais da ONU, e exige ainda "o levantamento das restrições impostas por Israel aos movimentos de pessoas e bens" em Gaza e a reabertura duradoura das passagens fronteiriças.

AFP