Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os postos de vendas de jornais estão quase em extinção nos Estados Unidos

(afp_tickers)

A indústria jornalística dos Estados Unidos advertiu, nesta segunda-feira (10), sobre o "duopólio" formado por Google e Facebook e pediu para negociar com as empresas que dominam a difusão de notícias e publicidade na internet.

A News Media Alliance disse que os meios de comunicação se veem forçados "a entregar seus conteúdos e jogar sob suas regras sobre como apresentar, priorizar e monetizar as notícias e a informação".

Uma declaração da associação que reúne cerca de 2 mil grupos de veículos disse que as organizações de notícias "estão muito limitadas em seu poder de negociação com o duopólio formado, que absorve o decrescente segmento de receitas de publicidade".

O grupo, antes chamado Newspaper Association of America, inclui importantes jornais, como The New York Times e The Wall Street Journal, mas também veículos menores e organizações de notícias.

A indústria jornalística vive uma queda irrefreável da demanda por notícias impressas à medida que os leitores se voltam cada vez mais para as plataformas online.

O presidente da Alliance, David Chavern, escreveu no The Wall Street Journal que as plataformas digitais "distorcem o valor econômico obtido fazendo bom jornalismo".

Chavern disse que Google e Facebook ficam com mais de 70% dos 73 bilhões de dólares gastos anualmente em publicidade na web.

"Mas os dois gigantes digitais não empregam repórteres. Não mexem nos arquivos públicos para desvendar a corrupção, nem enviam correspondentes a zonas de guerra, nem aos jogos à noite", escreveu Chavern.

"Eles esperam que a economicamente penosa indústria de notícias faça esse trabalho por eles", acrescentou.

O representante da associação insistiu que as empresas jornalísticas "devem poder negociar coletivamente com as plataformas digitais que controlam a distribuição e o acesso à audiência".

Facebook e Google, que compartilham parte dos lucros de algumas plataformas com empresas de notícias, alegam que tentaram ajudar os veículos fazendo algumas concessões.

O"Estamos comprometidos em ajudar a desenvolver o jornalismo de qualidade no Facebook. Avançamos em nosso trabalho com os veículos e há muito o que fazer", disse o diretor de alianças informativas do Facebook, Campbell Brown, à AFP

"Queremos ajudar os editores a vencer sua transição para o digital", afirmou a Google em um comunicado. "Nos últimos anos, criamos vários produtos especializados e tecnologias específicas para ajudar" os jornais, completou a empresa.

AFP