Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Fronteira entre México e Estados Unidos na altura de Tijuana

(afp_tickers)

A polícia mexicana prendeu na sexta-feira uma jovem, filha de pais russos, pelo homicídio da mãe e da irmã, que foram encontradas decapitadas na semana passada em sua casa de Tijuana, noroeste do país, informou a promotoria do estado da Baixa Califórnia.

De acordo com os investigadores, Anastasia Lechtchenko atuou sozinha nos crimes, afirmou José María González, subprocurador do estado.

Com a ajuda de pessoas nas redes sociais, a jovem de 19 anos foi detida em um parque, a apenas cinco ruas de onde no dia 8 de junho, supostamente matou a mãe, Yuliya Masney Safonchik, de 45 anos, e a irmã, Valeria Lechtchenko, de 12 anos.

A jovem foi acusada de homicídio qualificado e está detida na penitenciária de La Mesa, em Tijuana, cidade próxima da fronteira com os Estados Unidos.

Segundo as autoridades, Anastasia Lechtchenko confessou os crimes alegando que a mãe e a irmã a haviam enfeitiçado.

Os corpos das vítimas foram encontrados no dia 10 de junho em uma casa do bairro de classe média 'Playas de Tijuana', depois que os vizinhos alertaram a polícia em consequência do odor.

Os cadáveres estavam decapitados, desmembrados e guardados em sacos de plástico para lixo.

Após a descoberta macabra, a jovem passou nove dias em liberdade porque uma juíza considerou que não havia provas suficientes para a detenção.

Os pais de Anastasia, ambos de origem russa, foram acrobatas nos circos Russo de Moscou e Atayde. O casal se mudou para Tijuana há 13 anos, mas o pai - Igor Lechtchenko - morava separado da família há três anos.

Anastasia Lechtchenko e a irmã nasceram em San Luis Potosí (norte do país).

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

AFP