A jovem militante sueca que alerta sobre a crise climática Greta Thunberg e o papa Francisco se reuniram nesta quarta-feira no Vaticano, depois da audiência-geral do sumo pontífice.

"O Santo Padre agradeceu e encorajou Greta Thunberg por seu compromisso com a defesa do meio ambiente", disse o porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti.

Os dois deram um aperto de mão e a menina sueca de 16 anos agradeceu ao papa "por seus esforços em favor da defesa do planeta" com sua encíclica "Laudato si" dedicada a esse tópico.

"Eu me encontrei com o papa Francisco hoje e agradeci a ele por falar claramente sobre a crise climática e ele me disse para continuar com o meu compromisso", escreveu Greta Thunberg no Facebook.

Por tradição, depois de cada audiência-geral, o Papa se encontra com algumas dezenas de pessoas com quem ele troca algumas palavras, como fez nesta quarta-feira com Greta Thunberg.

A jovem sueca será recebida na quinta-feira por líderes políticos italianos e participará de uma manifestação na sexta-feira em Roma, em nome da proteção do meio ambiente organizada por jovens italianos que seguem seu exemplo.

Greta Thunberg inspirou milhares de jovens na Europa que se manifestaram nas últimas semanas para alertar sobre a urgência de lutar contra as mudanças climáticas.

Na véspera, ela afirmou que a janela de oportunidade para combater esse problema não permanecerá aberta por muito tempo, ao falar no Parlamento Europeu.

"Os políticos europeus devem agir agora, já que não há muito tempo", afirmou a adolescente de 16 anos falando à imprensa na sede parlamentar em Estrasburgo (nordeste da França).

"Ainda temos uma janela aberta durante a qual podemos agir, mas ela não ficará aberta por muito tempo, por isso devemos aproveitar essa oportunidade", acrescentou.

Thunberg, que ainda não tem o direito de votar, considerou essencial votar nas eleições para o Parlamento Europeu de 23 a 26 de maio para "aproveitar essa oportunidade para influenciar" o debate sobre o tema.

Com as greves da escola chamadas "Sexta para o Futuro", Thunberg inspirou um movimento global que começou com seu protesto solitário em agosto passado em frente ao Parlamento sueco.

Desde então, dezenas de milhares de estudantes da Europa, Austrália, Uganda, México e Estados Unidos fazem greves toda semana para exigir medidas ambientais das autoridades.

A ativista sueca convocou os jovens "para pressionar as pessoas no poder e as gerações mais velhas".

"É uma ótima oportunidade para enviar uma mensagem e falar em nome de jovens que compartilham as mesmas preocupações que eu tenho sobre a crise climática", acrescentou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.