Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldado israelense caminha entre pneus queimados durante confrontos com palestinos nos arredores do assentamento judaico Beit El, em 25 de julho de 2014

(afp_tickers)

Dois jovens palestinos, de 16 e 18 anos, foram mortos em confrontos com o Exército israelense e com colonos judeus na madrugada deste sábado, na Cisjordânia, informaram fontes da segurança palestina.

O jovem de 16 anos morreu e cinco ficaram feridos em confrontos em uma localidade ao sul de Belém. O de 18 anos foi morto quando protestava diante do posto militar de Jalama, no norte da Cisjordânia.

De Belém a Hebron, passando por Nablus, cenas que lembravam uma Intifada se multiplicaram nesta sexta, e também em Jerusalém Oriental, onde as forças israelenses de segurança responderam com tiros depois de terem sido atacadas com pedras, segundo um fotógrafo da AFP.

Intifada é o nome dado aos movimentos de revolta generalizada contra Israel.

Na sexta-feira, outros seis palestinos foram mortos na Cisjordânia em atos violentos no "dia da ira" decretado pelas principais organizações palestinas para protestar contra a operação militar israelense na Faixa de Gaza.

Um forte esquema de segurança foi montado para um dia considerado de alto risco: a último sexta-feira do Ramadã, o mês sagrado do Islã.

Em Nablus, houve um tiroteio durante uma manifestação depois da oração semanal, quando fiéis muçulmanos apedrejaram colonos israelenses que passavam de carro.

Os colonos responderam e mataram a tiros um jovem de 18 anos. O Exército israelense chegou e atirou nos manifestantes palestinos, matando um de 22 anos e ferindo três.

De acordo com a rádio do Exército israelense, uma mulher do grupo de colonos foi a autora dos disparos. Uma porta-voz militar israelense limitou-se a confirmar à AFP que "alguns colonos se envolveram" em episódios de violência.

Soldados israelenses também mataram três palestinos de 30, 39 e 46 anos na cidade de Beit Ommar, perto de Hebron, em uma manifestação com centenas de pessoas, segundo fontes médicas palestinas.

Os funerais dos três homens foram realizados sob forte tensão na noite de sexta-feira e novos confrontos foram registrados, segundo um correspondente da AFP.

Soldados palestinos mataram um palestino de 27 anos na noite de sexta em Al-Arub, perto de Hebron, segundo fontes hospitalares.

Uma contagem da AFP indica 12 palestinos mortos nos últimos dias na Cisjordânia.

AFP