Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro (E), e o presidente de Cuba, Raúl Castro (D) durante cerimônia em Havana, em Cuba, em 14 de dezembro de 2017

(afp_tickers)

Uma organização de jovens de cerca de 20 países da América Latina reuniu 10 mil assinaturas para pedir ao governo chileno que cancelasse o convite aos presidentes Nicolás Maduro, da Venezuela, e Raúl Castro, de Cuba, para a posse de Sebastián Piñera em março.

Um grupo de membros da Rede Latino-Americana de Jovens para a Democracia foi nesta quarta-feira o Palácio da Moneda para entregar a carta à presidente Michelle Bachelet.

A organização, liderada por Rosa María Payá, filha do dissidente cubano Oswaldo Payá, pede que o convite para a posse presidencial seja cancelado e que o presidente chileno "envie uma mensagem aos dois ditadores do Caribe dizendo que eles não são bem-vindos no Chile", disse Juan Carlos Vargas, dirigente da rede, ao canal CNNChile.

Os "abusos constantes de Maduro e Castro nos direitos humanos de nossos irmãos, a grave situação de falta de alimentos e medicamentos são algumas das causas para considerar que esses personagens não merecem ser convidados", afirmou um comunicado divulgado nas redes sociais por este organização, que reúne movimentos políticos e sociais de jovens em 19 países latino-americanos.

A polêmica surgiu um dia depois do presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pedir a Maduro que desista de participar da Cúpula das Américas em Lima em abril, afirmando que sua presença "não será bem-vinda neste encontro".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP