Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O rapper Meek Mill, durante apresentação em Atlanta

(afp_tickers)

Uma juíza americana condenou a ao menos dois anos de prisão o rapper Meek Mill por violação dos termos de sua liberdade condicional, uma sentença que surpreendeu e impactou o mundo do hip-hop.

Mill, cujo mais recente álbum "Wins and Losses" ficou em terceiro lugar nas paradas esse ano nos Estados Unidos, foi sentenciado por um caso que data de quando o cantor, que agora tem 30 anos, ainda era adolescente.

Criado por sua mãe na Filaldéfia, após seu pai ser assassinado, o rapper registrado como Robert Williams foi posto em liberdade condicional depois de ser preso em 2008 por posse de drogas e porte de armas.

Em uma audiência ocorrida na segunda-feira, a juíza Genece E. Brinkley sentenciou o artista a prisão por esse caso, com uma pena de dois a quatro anos, com a possibilidade de liberdade condicional após dois anos.

Brinkley, de acordo com repórteres presentes na audiência, apontou violações da liberdade condicional como o agendamento de shows, o que vai de encontro com as suas ordens pré-estabelecidas.

Além disso, Meek Mill também foi preso após uma discussão ocorrida em março no aeroporto de St. Louis.

Mill, como cita a mídia, pediu compaixão: "Sou humano, não sou perfeito", disse.

A sentença incomodou vários artistas que consideraram desproporcional que ele tenha que ir para a prisão.

Um deles foi o rapper Jay-Z, que publicou em seu Facebook que a sentença é "injusta e muito dura", enquanto ofereceu o seu apoio a Mill.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP