Navigation

Judeus alemães denunciam 'explosão de ódio' em protestos pró-palestinos

Dieter Graumann participa de uma entrevista coletiva em Frankfurt afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. julho 2014 - 14:55
(AFP)

Judeus alemães condenaram nesta segunda-feira a "explosão de ódio" contra a sua comunidade nas recentes manifestações no país contra a ofensiva israelense na Faixa de Gaza.

"Estamos experimentando neste país uma explosão de ódio violento e nefasto contra os judeus, que nos abala", declarou o presidente do Conselho Central de Judeus da Alemanha, Dieter Graumann.

Manifestantes carregando bandeiras palestinas e imagens do líder falecido Yasser Arafat proferiram insultos e gritos antissemitas nestas manifestações, segundo a imprensa alemã.

Nos protestos de Berlim foram ouvidas frases como "Morte a Israel!" e "Os sionistas são fascistas, matando crianças e civis".

Um imã em Berlim rezou publicamente pela aniquilação dos judeus sionistas, pedindo a Alá que "mate até o último deles", segundo um vídeo publicado na internet pelo jornal israelense Haaretz.

Graumann denunciou em um comunicado que nunca poderia ter imaginado que voltariam a ser ouvidos cantos tão repugnantes e primitivos nas ruas da Alemanha contra os judeus.

Ele pediu "uma clara e forte condenação por parte de políticos, meios de comunicação e da sociedade civil" no país onde o Holocausto foi organizado.

Várias manifestações pró-palestinas e contra a ofensiva israelense na Faixa de Gaza foram realizadas nos últimos dias em várias cidades europeias, incluindo na França, onde algumas delas terminaram em atos violentos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?