Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-juíz espanhol Baltasar Garzón, em Madri, no dia 9 de abril de 2015

(afp_tickers)

A Venezuela tem um grave problema de violação dos direitos humanos fundamentais e isso deve ser investigado, afirmou o ex-juiz espanhol Baltasar Garzón.

Conhecido como o paladino dos direitos humanos, Garzón, que agora dirige uma firma de advogados em Madri, ficou mundialmente famoso pela prisão do ditador chileno Augusto Pinochet em 1998, em Londres.

"Garantir os princípios fundamentais de um Estado de direito, dos direitos humanos, da declaração universal em toda sua extensão é algo obrigatório para qualquer sistema de governo. Não posso dizer uma coisa para a Venezuela e outra coisa para a Síria. Deve ser a mesma coisa para qualquer lugar onde ocorra a violação do direito fundamental, onde a infração deve ser investigada e punida", declarou.

Em um relatório de 24 de março, a ONG Anistia Internacional denunciou a impunidade da Venezuela ante a morte de manifestantes por disparos policiais ou grupos pró-governamentais, torturas e agressões sexuais durante prisões e interrogatórios, e represália por denunciar esses abusos.

AFP