Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-presidente da Guatemala, Otto Pérez, na Cidade da Guatemala

(afp_tickers)

Um juiz da Guatemala ordenou nesta quinta-feira a prisão provisória do ex-presidente Otto Pérez, que renunciou ao cargo após denúncias de liderar um esquema de corrupção.

O juiz Miguel Angel Gálvez, do Tribunal de Maior Risco B, determinou que Pérez deve permanecer no quartel militar de Matamoros, no centro da capital, por risco de fuga.

A medida foi ordenada ao final de uma longa audiência na qual o Ministério Público (Procuradoria) apresentou acusações e provas contra Pérez. A sessão foi suspensa e programada para continuar na sexta-feira.

O advogado do agora ex-presidente, César Calderón, negou a determinação e pediu ao juiz para reconsiderá-la ao recordar que Pérez se apresentou voluntariamente ao tribunal e não pretende obstruir a justiça.

"Como presidente (Pérez) tinha amplos poderes que poderia ter utilizado, como meios aéreos e terrestres, para ficar fora do alcance da lei e não o fez", destacou Calderón.

O juiz Gálvez replicou a medida que corresponde não só a risco de fuga, como também ao perigo da integridade física de Pérez, que foi alvo de massivas manifestações que exigiam sua renúncia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP