Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fotod divulgada por tribunal do Camboja mostra Nuon Chea durante julgamento, em 31 de outubro de 2013.

(afp_tickers)

O segundo julgamento de dois dos mais altos dirigentes do Khmer Vermelho ainda vivos, acusados de genocídio, começou nesta quarta-feira em um tribunal de Phnom Penh, com apoio da ONU.

Nuon Chea, de 88 anos, ideólogo do regime, e Khieu Samphan, de 83, chefe do Estado da "Kampuchea Democrática" durante 3 anos, são julgados desde 2011 por sua responsabilidade nas atrocidades cometidas entre 1975 e 1979 em nome de uma suposta utopia marxista que deixou milhões de mortos.

Para obter um veredicto antes da morte dos dois acusados, o julgamento foi dividido em duas partes.

No primeiro "miniprocesso", que durou dois anos, a acusação se centrou nos crimes contra a humanidade representado pelos deslocamentos forçados da população durante a evacuação das cidades. O veredicto desse processo é esperado para 7 de agosto.

O segundo processo, que começou nesta quarta na presença de Khieu Samphan, nas na ausência de Nuon Chea por razões médicas, diz respeito às acusações de genocídio, aos massacres de vietnamitas e da minoria étnica dos sham, de confissão muçulmana.

AFP