AFP

O cruzeiro Costa Concordia em 2012, matando 32 pessoas

(afp_tickers)

O Tribunal Supremo italiano confirmou nesta sexta-feira, em Roma, a pena de 16 anos e um mês ao ex-capitão do navio de cruzeiro Costa Concordia, Francesco Schettino, pelo naufrágio da embarcação, no qual morreram 32 pessoas em 2012.

Apelidado de "capitão covarde", Schettino, de 56 anos, não compareceu à audiência e se apresentou imediatamente à prisão romana de Rebibbia para cumprir a pena.

AFP

 AFP