Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente sul-africano, Jacob Zuma

(afp_tickers)

A Justiça sul-africana confirmou nesta sexta-feira que o presidente Jacob Zuma pode ser processado por corrupção em um caso de vendas de armas no qual esteve envolvido há 10 anos.

De acordo com uma decisão lida em uma audiência pelo juiz Eric Leach, o tribunal de apelações de Bloemfontein rejeitou um recurso do chefe de Estado contra a determinação de retomar 783 acusações contra Zuma por corrupção, fraude fiscal e extorsão.

Agora corresponde à Procuradoria Geral decidir se retoma ou não o caso, o que pode levar Jacob Zuma ao banco dos réus.

O presidente sul-africano é acusado de ter recebido, quando era vice-presidente, subornos por um contrato de armas de 4,2 bilhões de euros assinado em 1999 pela África do Sul com várias empresas europeias.

Na época ele foi indiciado, mas o processo foi abandonado em 2009 porque, segundo a Procuradoria Geral, tinha motivações políticas.

Zuma estava em uma grande batalha política na época contra o então presidente Thabo Mbeki.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP