Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner, em Buenos Aires, em 20 de junho de 2017

(afp_tickers)

Quase 40.000 partidários pediram à ex-presidente argentina Cristina Kirchner que seja candidata a senadora nas eleições legislativas de outubro, mas a líder opositora não deu pistas ao lançar nesta terça-feira seu partido.

"Cristina senadora, Cristina senadora!", gritaram em coro no estádio de futebol do Arsenal. Ao pedido, Cristina respondeu que não é mais "a jovem que queria mudar o mundo". "Os anos passam", acrescentou.

O prazo para apresentar as candidaturas para a renovação de um terço do Senado e a metade da Câmara dos Deputados em 22 de outubro vence no sábado 24 à meia-noite.

O partido Unidade Cidadã (kirchnerista) negociará até o último momento uma coalizão com peronistas que desafiam sua liderança. Se essa negociação com o peronismo centrista fracassar, fontes políticas garantem que o partido pode anunciar no próximo sábado a candidatura de Cristina Kirchner a senadora pela província de Buenos Aires.

O distrito de Buenos Aires é fundamental para definir as eleições na Argentina por contar com quase 40% dos eleitores do país.

AFP