Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Abu Bakr al-Baghdadi em única aparição pública, em vídeo de 5 de julho de 2014

(afp_tickers)

O Kremlin tem informações contraditórias sobre a morte do líder do grupo Estado Islâmico (EI), Abu Bakr Al-Bagdadi, anunciada como provável pelo Exército russo em junho e, novamente, na semana passada, por uma ONG síria.

"A informação que nos chega é contraditória e está sendo verificada por nossas agências de inteligência", indicou aos jornalistas o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. "Não temos uma informação segura", acrescentou.

Na semana passada, o secretário americano da Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, afirmou que seu país não tem provas da morte de Al-Baghdadi.

"Se soubéssemos, diríamos. Neste momento, não posso confirmar nem desmentir", afirmou o chefe do Pentágono referindo-se à suposta morte de Al-Baghdadi.

"Consideramos que ele ainda está vivo e por ora não posso provar o contrário", acrescentou.

A ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos admitiu que detectou comentários de dirigentes do EI na província síria de Deir Ezzor de que al-Baghdadi teria morrido.

AFP