O primeiro-ministro libanês, Saad Hariri, disse nesta quinta-feira (15) que está aberto a futuras negociações mediadas pelos Estados Unidos para resolver as disputas limítrofes que seu país mantém com Israel.

Depois de se reunir com o chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, Hariri disse que "confirmou" o "compromisso" de Beirute para "continuar com o processo de negociação" iniciado pelo governo dos Estados Unidos sobre "fronteiras marítimas e terrestres".

"Consideramos que o processo é viável", disse Hariri aos jornalistas, e prometeu que a decisão final será conhecida "nos próximos meses, espera-se que em setembro".

Durante essas breves declarações à imprensa, Hariri foi acompanhado por Pompeo, que agradeceu o compromisso do primeiro-ministro libanês para "progredir à uma retomada de discussões produtivas no nível de especialistas".

Essas discussões devem cobrir pontos da Linha Azul, que foi traçada em 2000 pela ONU depois da retirada israelense do Líbano.

Também se buscará um acordo sobre os limites marítimos entre Israel e Líbano, disse Pompeo.

Israel e Líbano ainda estão tecnicamente na guerra. A fronteira marítima que compartilham é um tema especialmente sensível pelos direitos de perfuração em áreas contestadas.

Em fevereiro de 2018, o Líbano assunou seu primeiro contrato de perfuração marítima para a exploração de gás e petróleo com um consórcio conformado por Total, ENI e Novatek.

Israel afirma que uma parte de uma das áreas de perfuração incluídas no contrato lhe pertence.

No final de maio, Israel aprovou a participação dos Estados Unidos como mediador do conflito.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.