AFP

A atriz israelense Gal Gadot

(afp_tickers)

O Líbano proibiu a exibição do filme americano "Mulher Maravilha", protagonizado pela atriz israelense Gal Gadot, com base em uma decisão do gabinete de boicote a Israel da Liga Árabe.

Uma fonte da Segurança Geral libanesa indicou à AFP que o Ministério do Interior "decidiu proibir a exibição desse filme com base na recomendação do gabinete de boicote a Israel dentro da Liga Árabe", da qual o Líbano faz parte.

A fonte justificou a proibição pela presença na superprodução de Hollywood da atriz israelense Gal Gadot, que vive a heroína na história.

O ministério libanês de Economia e Comércio, responsável pelo boicote de todos os produtos israelenses, aconselhou em um comunicado à Segurança Geral que proibisse a exibição do filme.

No Facebook, Gal Gadot defendeu em 2014 a ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza.

"Envio o meu amor ao conjunto de cidadãos israelenses, especialmente a estes meninos e meninas que arriscam a sua vida para proteger a minha pátria contra os atos terríveis executados pelo (movimento islamita) Hamas, que se esconde covardemente atrás de mulheres e crianças", escreveu na época.

"Mulher Maravilha" será exibido em outros países árabes como Tunísia, Emirados Árabes Unidos, Argélia e Egito.

AFP

 AFP