Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2016) Bombardeiro pousa em base russa na província síria de Latakia

(afp_tickers)

A Rússia anunciou nesta quarta-feira que matou 12 comandantes do grupo extremista sírio Frente Al-Nusra em um bombardeio nesta terça-feira, e informou que o líder do movimento, Mohammad al-Julani, se encontra em "estado crítico".

"Após o ataque, o chefe da Frente Al-Nusra Mohammad al-Julani sofreu ferimentos grave e múltiplos, perdeu um braço e se encontra em estado crítico, segundo várias fontes independentes", afirmou o ministério russo da Defesa.

O ataque foi uma operação especial em represália a uma ofensiva contra a Polícia Militar russa em 18 de setembro, indicou o porta-voz do ministério russo, Igor Konashenkov.

Doze comandantes, incluindo o chefe de segurança de Al-Julani, morreram ao lado de 50 integrantes do grupo, segundo Konashenkov.

O ataque, executado por aviões Su-34 e Su-35, aconteceu durante uma reunião da cúpula militar do movimento detectada pela inteligência russa, informou o porta-voz.

A Frente Al-Nusra, grupo sírio da Al-Qaeda, se desvinculou da rede fundada por Osama Bin Laden em 2016 e mudou o nome para Jabhat Fateh al-Sham (Frente da Vitória para o Povo da Grande Síria).

A Frente lidera a coalizão de grupos jihadistas Hayat Tahrir al-Sham (HTS), que controla a maior parte da província norte-ocidental de Idlib.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP