Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Timoleón Jiménez, líder das Farc, em entrevista coletiva em Havana em 23 de setembro de 2015

(afp_tickers)

O principal líder das Farc, Timoleón Jiménez (Timochenko), convidou no sábado o ex-presidente colombiano Álvaro Uribe, grande opositor das negociações de paz, a conversar em Havana ou na Colômbia sobre o futuro do país.

"Presidente Uribe, estamos dispostos a conversar tranquilamente com o senhor sobre o futuro de nossa nação, em Havana ou no local da Colômbia de sua preferência, contando desde já com garantias de segurança suficientes para nossa viagem e estadia em solo pátrio", escreveu Jiménez em uma carta dirigida a Uribe.

No texto, Timochenko afirma que "a paz merece deixar para trás orgulhos" e destaca que "com ódios não se chega a nenhum lugar".

"Queremos o senhor sentado à Mesa da Reconstrução e Reconciliação Nacional".

O líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia defende o diálogo, depois que o ex-presidente convocou os colombianos a uma "resistência civil" aos acordos que podem ser assinados entre o governo e o grupo rebelde em Cuba.

Ex-presidente (2002-2010) e atual senador, Uribe é o mais ferrenho opositor ao governo do presidente Juan Manuel Santos e, em particular, ao diálogo que seu governo mantém com as Farc, em Cuba, desde 2012.

AFP