Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ativistas exibem falsas grades e usam máscaras do líder estudantil Jatupat “Pai” Boonpattararaksa para exigir sua libertação

(afp_tickers)

Um líder estudantil tailandês foi condenado nesta terça-feira a dois anos e meio de prisão depois de ter se declarado culpado de um crime de lesa-majestade, ao ter compartilhado no Facebook um artigo de imprensa sobre o rei.

Jatupat Boonpatararaksa, mais conhecido como "Pai", de 25 anos, é o último ativista a ser alvo da dura lei tailandesa que proíbe qualquer tipo de crítica à monarquia.

O artigo que o estudante postou em seu perfil sobre o rei Maha Vajiralongkorn foi publicado pelo serviço em tailandês da BBC, o que provocou um escândalo no reino, já que se refere ao caráter do soberano, um tema tabu duramente criticado pelos tribunais.

"Pai" havia sido condenado a cinco anos de prisão, mas teve a pena reduzida por se declarar culpado.

Os acusados de crimes de lesa-majestade no país quase sempre são condenados a penas de até 15 anos de prisão.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP