Três gerações para defender o clima e a biodiversidade: o velho líder indígena Raoni se juntou nesta sexta-feira (17), em Bruxelas, a centenas de manifestantes, incluindo muitos jovens, para levar à capital europeia sua luta em defesa da floresta amazônica.

Raoni Metuktire, que chegou na segunda-feira do Brasil para uma viagem de três semanas pela Europa, marchou com os jovens belgas que têm protestado toda a semana, há cinco meses, para exigir que os líderes políticos atuem contra o aquecimento global.

Ele aproveitou a oportunidade para promover sua luta contra o desmatamento na Amazônia e para a construção de uma barreira de bambu destinada a proteger a Grande Reserva do Xingu do tráfico de madeira, animais, ouro, entre outros.

"Vocês precisam me ajudar a refazer os limites, a demarcação. Isso é tudo o que peço a vocês. Devemos fazer isso ainda este ano", declarou Raoni ao lado do prefeito de Bruxelas, Philippe Close, em coletiva de imprensa na prefeitura depois da manifestação.

Falando em português, o famoso líder indígena citou a ameaça das "grandes fazendas" perto dessa imensa reserva de biodiversidade, tão grande quanto seis vezes a Bélgica.

Ele disse temer os indivíduos "que estão destruindo tudo".

"Eu quero que (a reserva) continue, porque as árvores fornecem sombra e mantêm a terra fria", ressaltou ele para enfatizar a necessidade de se defender a floresta.

"Muito rapidamente vamos desbloquear fundos", prometeu Philippe Close, falando de "uma batalha urgente (...) na qual o envolvimento de todos é necessário".

Na prefeitura, assim como na passeata que reuniu 650 pessoas de acordo com a polícia, a estudante Anuna De Wever, figura de proa do movimento da juventude belga em favor do clima, e o desenhista Philippe Geluck, um dos apoiadores do movimento, também elogiaram a luta da liderança indígena.

"Este território que você defende, esta vida que você defende, é por todos nós que você faz", disse Geluck.

Na quinta-feira, na véspera da etapa belga de sua turnê, Raoni foi recebido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu.

Após o encontro, o Eliseu informou que a França "apoiaria o projeto de Raoni" para financiar os muros verdes, como parte de "seu compromisso com a biodiversidade e no âmbito da presidência do G7" este ano. Esse compromisso, incluindo financeiro, será anunciado posteriormente.

Na segunda-feira, Raoni seguirá para Luxemburgo e, depois, para o sul da França, assim como Roma. Uma reunião está prevista com o papa Francisco no Vaticano, segundo a associação Forêt Virgo.

O desmatamento, que havia diminuído drasticamente na Amazônia de 2004 a 2012, voltou a crescer agora em janeiro: +54% em relação ao mesmo período de 2018, segundo a ONG Imazon.

Ainda que o desmatamento tenha, na sequência, caído em fevereiro (-57%) e em março (-77%), 268 km2 de floresta desapareceram no primeiro trimestre. Nos últimos 12 meses, o desmatamento registrou um avanço de 24%.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.