Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um dos principais líderes da oposição na Venezuela, Henrique Capriles, em entrevista coletiva em Caracas em 15 de fevereiro

(afp_tickers)

Um dos principais líderes da oposição na Venezuela, Henrique Capriles, foi denunciado ao Ministério Público nesta sexta-feira (24) por suspeita de ter recebido US$ 3 milhões em subornos da empreiteira Odebrecht.

"Estamos pedindo que a Procuradoria ordene uma medida cautelar para alienar e onerar os bens que sejam propriedade do Sr. Capriles, provenientes do delito, e que seja declarada medida privativa de liberdade", assinalou o político governista Luis Tellerías, em nota à imprensa.

Tellerías apresentou a denúncia em nome da ONG Frente Anticorrupção.

Em 15 de fevereiro, a Procuradoria informou que a Justiça venezuelana congelou as contas bancárias e os ativos da Odebrecht no país, depois do escândalo de subornos da empreiteira envolvendo funcionários do governo em vários países da América Latina.

O líder opositor assegura que as contratações com a Odebrecht foram feitas durante a gestão como governador do Diosdado Cabello, deputado e um dos líderes do chavismo.

Em janeiro, o Ministério Público anunciou que solicitou à Interpol uma ordem de captura contra uma pessoa, que não foi identificada.

Sem mencionar o nome de Capriles, o presidente Nicolás Maduro disse que "há um governador envolvido" que poderia ir preso.

"Já no Brasil é feita uma investigação e foi ordenado ao banco suíça que entregue os movimentos sobre os depósitos da Odebrecht a Capriles", afirmou Tellerías.

AFP