Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Alexandre Zakharchenko, fala em uma coletiva de imprensa na cidade ucraniana de Donetsk.

(afp_tickers)

O líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Alexandre Zakharchenko, acusou Kiev nesta sexta-feira de atrasar, deliberadamente, a ajuda humanitária russa destinada aos habitantes desse bastião separatista pró-Moscou.

"A República Popular de Donetsk está, atualmente, em uma situação humanitária muito preocupante, e precisamos da ajuda que a Rússia envia para nós, como se fosse oxigênio. Mas ainda não recebemos", declarou à imprensa.

"O governo ucraniano impede, com todos os obstáculos possíveis, legais ou outros, a chegada dessa ajuda", denunciou Zakharchenko, acrescentando que os separatistas pró-russos lançaram uma contraofensiva contra as forças do governo, o que permitiu a criação de "um corredor entre Donetsk e Lugansk", os dois redutos rebeldes.

"A próxima etapa será a suspensão do bloqueio de Lugansk. Acho que já a partir desta noite. O bloqueio de Lugansk não existirá mais", acrescentou o líder pró-russo.

Os 300 caminhões russos, que transportam 1.800 toneladas de ajuda humanitária, segundo Moscou, continuavam estacionados nesta sexta-feira a cerca de 30 quilômetros da fronteira com a Ucrânia. Os veículos esperam a inspeção da guarda fronteiriça e de alfândega ucraniana.

AFP