Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Logo da gigante francesa de cosméticos, L'Oréal

(afp_tickers)

A gigante francesa dos cosméticos L'Oréal anunciou nesta sexta-feira (1) que deixará de trabalhar com a modelo transgênero Munroe Bergdorf, justificando sua decisão por declarações seriam consideradas discriminatórias contra os brancos.

"Os comentários de Munroe Bergdorf estão em desacordo com os nossos valores e decidimos terminar a nossa colaboração com ela", declarou a filial britânica da marca L'Oréal Paris, no Twitter.

Bergdorf comunicou no fim de agosto que seria a primeira modelo transgênero da L'oréal, cujo trabalho inicial seria uma campanha para promover a diversidade.

Porém, posteriormente, ela causou polêmica na imprensa britânica por comentários publicados no Facebook em resposta aos violentos eventos ocorridos em Charlottesville, nos Estados Unidos, e que resultaram na morte de uma mulher em 12 de agosto, atropelada por um simpatizante neonazista que jogou o carro que dirigia contra manifestantes anti-racistas.

"Sinceramente, já não tenho forças para falar da violência racial dos brancos. Sim, TODOS os brancos", escreveu a modelo, que é negra, em uma postagem que foi removida depois, mas que chegou a ser divulgada pela imprensa britânica.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP