Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A cantora pop americana Lady Gaga, se apresentando no festival californiano Coachella, em abril

(afp_tickers)

A cantora pop americana Lady Gaga prestou apoio ao colega britânico Ed Sheeran depois que ele revelou evitar o uso da rede social Twitter por receber com frequência comentários grosseiros - muitos vindos do fã-clube da cantora, o "Little Monster".

"Eu desejo que todas as pessoas na internet sejam positivas e amáveis, além de contribuírem na formação de uma comunidade online que seja gentil e empoderadora, e não cheia de ódio e maldade", escreveu em seu Instagram a estrela pop na terça-feira à noite, após postar uma foto dela com Sheeran.

"Não há razão em destruir um artista apenas porque ele faz sucesso", destacou Gaga.

Ed Sheeran, cujo álbum "Divide" é de longe o álbum mais vendido nos Estados Unidos nesse ano, declarou anteriormente essa semana que não estava mais lendo comentários no Twitter.

Ele tem usado a sua conta nessa rede social para postar apenas fotos tiradas durante sua turnê, em sua maioria repostadas por meio do seu Instagram e compartilhadas no microblog.

"Eu entro nele e não há nada além de pessoas dizendo coisas ruins para mim. O Twitter é uma plataforma para isso", Sheeran revelou ao tabloide britânico The Sun.

"Um só comentário estraga todo o seu dia. Mas é por isso que eu parei de usá-lo", disse ele.

O cantor de barba ruiva, 26 anos, ressaltou não ter atacado Gaga, uma vez que os fãs da cantora o reprovaram após declaração feita em uma entrevista recente.

Em entrevista à rádio Apple Music's Beats 1, Sheeran relatou estar aberto a conselhos vindos de fora, já que não tem intenção de se sentir "invencível" após atingir o sucesso.

"Eu não quero ter que me apresentar no Super Bowl alguns anos após o auge do meu sucesso apenas para provar que ainda sou relevante", declarou ele.

Em fevereiro de 2017, Gaga fez um elogiado show durante o intervalo do Super Bowl, a famosa partida final do campeonato de futebol americano, que é anualmente o evento televisivo mais assistido nos Estados Unidos.

Uma das causas defendidas pela cantora se refere ao combate ao bullying, que a faz principalmente por meio da sua fundação Born This Way.

AFP