Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov

(afp_tickers)

O ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, alertou nesta quinta-feira ante a Assembleia Geral da ONU que a "histeria militar" em torno da Coreia do Norte poderia levar a um "desastre".

"Condenamos as aventuras nucleares e de mísseis de Pyongyang", disse Lavrov ante a ONU, "mas a histeria militar não é apenas um impasse, mas um desastre".

Na terça-feira, na abertura da Assembleia Geral da ONU, o presidente americano, Donald Trump, ameaçou "destruir completamente" a Coreia do Norte em caso das atuais tensões desembocarem em um conflito aberto.

Lavrov apontou nesta quinta que "não há outra alternativa às vias políticas e diplomáticas para resolver esta situação nuclear" na península coreana.

Por isso, o chefe da diplomacia russa fez um chamado à comunidade internacional a apoiar uma proposta de esforço conjunto com a China para estabelecer contatos com Pyongyang.

No entanto, a representante dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, já qualificou essa proposta como "um insulto".

Nesta quinta-feira, o governo americano anunciou a adoção de pesadas sanções a empresas que mantenham laços comerciais com a Coreia do Norte.

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-In, assegurou ante a ONU nesta quinta que Seul "não deseja o colapso da Coreia do Norte", e pediu a Pyongyang que abandone o seu programa de armas nucleares.

O Japão, outro ator central na crise, anunciou na ONU que apoiava a decisão americana de manter "todas as opções sobre a mesa" com relação à Coreia do Norte.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP