Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O padre Teresito Suganob, após a sua libertação, em Manila

(afp_tickers)

Um padre católico sequestrado por partidários do grupo extremista Estado Islâmico (EI) que ocuparam há quase quaro meses uma parte de Marawi, cidade do sul das Filipinas, foi libertado, anunciaram nesta segunda-feira as autoridades.

O padre Teresito Suganob participou em uma entrevista coletiva organizada no quartel-general do exército em Manila.

De acordo com o ministro da Defesa das Filipinas, Delfin Lorenzana, o padre foi libertado durante a noite, quando as tropas assumiram o controle do centro de comando dos extremistas em uma mesquita de Marawi.

"Obrigado, rezo por vocês, que Deus abençoe a todos. Rezem por mim, por minha recuperação", afirmou Suganob, conhecido como "Padre Chito".

Com senso de humor apesar do período que passou sequestrado, o padre, com um grande barba mas aparente bom estado de saúde, ele declarou: "Estou fisicamente forte e bonito. É tudo pelo momento".

No dia 23 de maio, centenas de jihadistas armados e com a bandeira do EI ocuparam vários bairros de Marawi.

O padre Suganob foi sequestrado ao lado de vários paroquianos no início dos confrontos.

Desde então, mais de 800 pessoas morreram e bairros inteiros de Marawi foram destruídos nos combates. Os extremistas resistem a uma campanha de bombardeios respaldada pelos Estados Unidos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP