Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Lieberman defende uma ocupação militar na Faixa de Gaza - como já ocorreu no fim de 2012 - em resposta aos foguetes que são lançados dali contra o Estado hebreu.

(afp_tickers)

O ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, um falcão ultranacionalista, anunciou nesta segunda-feira o fim da aliança com o partido Likud do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, mas sem abandonar o governo.

"Há divergências fundamentais que não permitem um trabalho comum (com o Likud). Nos separamos e vamos estabelecer uma facção separada", anunciou Lieberman, que, entre outros temas, discorda de Netanyahu sobre a resposta militar em Gaza.

O partido de Lieberman, Israel Beitenu, apresentou uma lista comum com o Likud nas legislativas de janeiro de 2013.

Lieberman defende uma ocupação militar na Faixa de Gaza - como já ocorreu no fim de 2012 - em resposta aos foguetes que são lançados dali contra o Estado hebreu.

"Agora, temos (a ameaça de) centenas de mísseis com alcance de 80 quilômetros", explicou em uma coletiva de imprensa.

"Esta realidade, com centenas de mísseis em poder de uma organização terrorista (alusão ao Hamas, que governa em Gaza) que pode utilizá-los a qualquer momento é inaceitável", acrescentou Lieberman.

"Não sei o que estamos esperando", sentenciou.

AFP