Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Menino da comunidade yazidi come um pedaço de pão no norte do Iraque, na fronteira com a Síria

(afp_tickers)

A Liga Árabe acusou nesta segunda-feira os rebeldes jihadistas do Estado Islâmico (EI) de crimes contra a humanidade contra os integrantes da comunidade yazidi no Iraque, que correm o risco de morrer nas montanhas do norte, onde buscam refúgio.

O secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, exigiu em um comunicado que os responsáveis pelos crimes contra a humanidade sejam levados à justiça.

O avanço do EI nos últimos dias provocou a fuga de mais de 200.000 pessoas, sobretudo desde a tomada de Qaradosh, a maior cidade cristã do Iraque, que fica entre Mossul e Erbil, e de Sinjair, reduto dos yazidis, uma minoria de língua curda não muçulmana, ao oeste de Mossul.

Muitos yazidis estão presos nas áridas montanhas da região, ameaçados tanto pela fome e sede como pelos jihadistas.

AFP