Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bennington nunca escondeu a sua dificuldade de superar os problemas com o álcool, as drogas e a baixa auto-estima

(afp_tickers)

O Linkin Park assegurou nesta segunda-feia que nunca poderá substituir o seu vocalista Chester Bennington, que morreu enforcado na última quinta-feira.

Depois de três dias de silêncio, a famosa banda californiana de rock pesado agradeceu a "avalanche de amor e apoio" recebida, e explicou que seu futuro é incerto.

"A sua ausência deixa um vazio que jamais poderá ser preenchido, perdeu-se uma voz grave, divertida, ambiciosa, criativa, amável e generosa", assinalou a banda em comunicado.

"Estamos tentando lembrar que os demônios que te afastaram de nós sempre foram parte do acordo. Depois de tudo, sua forma de cantar sobre esses demônios fez com que todo mundo gostasse de você", explicou.

"A sua valentia os expôs, nos uniu e nos ensinou a ser mais humanos", afirmaram seu companheiros.

Bennington, que morreu aos 41 anos, nunca escondeu a sua dificuldade de superar os problemas com o álcool, as drogas e a baixa auto-estima, causados principalmente pelos abusos sexuais sofridos quando era criança.

O vocalista, que era a alma do Linkin Park, se enforcou na manhã de quinta-feira com um cinto.

A sua morte deixa incerto o futuro da banda. "Embora não saibamos qual caminho iremos seguir, sabemos que você melhorou as nossas vidas. Obrigado por este presente. Te amamos e sentimos muito a sua falta".

AFP