Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A gigante chinesa do e-commerce Alibaba disse, nesta quinta-feira, que seu lucro líquido quase dobrou no último trismestre

(afp_tickers)

A gigante chinesa do e-commerce Alibaba informou, nesta quinta-feira (17), que seu lucro líquido quase dobrou no último trimestre, apoiado pela alta sólida das receitas no setor crucial de vendas e de computação na nuvem.

A Alibaba, que transformou seu fundador Jack Ma em um dos homens mais ricos da China e um ícone global do e-commerce, viu suas ações na Bolsa de Nova York subirem 80% desde dezembro passado.

Com a alta das ações a níveis históricos, o valor de mercado da companhia tem rapidamente se aproximado do da líder da índústria, a Amazon.

A Alibaba anunciou que sua receita líquida no trimestre encerrado em junho foi de 14,7 bilhões de iuanes (2,2 bilhões de dólares), uma alta de 94% ante o mesmo período do ano anterior.

A empresa é a líder do e-commerce na China, em sua plataforma Taobao, e sua boa performance contínua demonstra a força do setor, apesar de os indicadores econômicos do país terem desacelerado.

"Tivemos um trimestre ótimo", disse o vice-diretor-executivo Joseph Tsai.

Tsai afirmou que os resultados foram bons, porque "plantamos as sementes há vários anos, investindo em tecnologia, em inovação, em pessoal, e porque tivemos ousadia quando ninguém achou que fosse possível".

Ele acrescentou que "a economia Alibaba se reforça em si mesma e está mais forte do que nunca".

As receitas gerais no trimestre subiram 56%, a 50,2 bilhões de iuanes, acima da média de 7,2 bilhões de dólares estimada por especialistas consultados pela agência Bloomberg.

A receita do setor de comércio subiu 58% no trimestre, a 43 bilhões de iuanes, enquanto a receita de computação na nuvem saltou 96%, a 2,4 bilhões de iuanes, de acordo com o pronunciamento da empresa.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP