Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Unidade da GE em Grenoble

(afp_tickers)

A General Electric (GE) apresentou, nesta sexta-feira (20), resultados trimestrais "inadmissíveis" para o novo CEO do conglomerado industrial americano, John Flannery, que prometeu mudanças drásticas.

A GE anunciou uma queda de seu lucro no terceiro trimestre, por conta de custos elevados com reestruturação, em um ambiente "muito difícil" para serviços relacionados à energia. A empresa anunciou que nos próximos dois anos vai reduzir os ativos em 20 bilhões de dólares.

Após o informe, as ações caíram 7% em negociações antes da abertura do mercado e continuaram no vermelho durante quase toda a sessão. Contudo, as declarações do CEO foram um bálsamo, e as ações em alta de 1,06%.

"Precisamos de muitas grandes mudanças", disse o diretor-executivo em uma conferência por telefone com analistas. "Nossos resultados são inadmissíveis, para dizer o mínimo", afirmou.

Flannery prometeu apresentar, em 13 de novembro, um plano de estímulo ao crescimento do grupo industrial de 125 anos. Ele garantiu que 2018 será "um ano de recomeço".

O lucro líquido da GE caiu 9,7%, a 1,8 bilhão de dólares, no terceiro trimestre, encerrado em setembro. Isso significa um lucro por ação ajustado de 47 centavos - contra 49 esperados, em média, por analistas financeiros.

A receita subiu 14,4%, a 33,5 bilhões de dólares, refletindo a aquisição da empresa de serviços petroleiros Baker Hughes.

A GE reduziu a previsão de lucro por ação anual ajustado de 1,10 dólar para 1,05 dólar.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP