Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

(afp_tickers)

Diante da sede da Petrobras no Rio de Janeiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva denunciou nesta terça-feira que o presidente Michel Temer está vendendo o país e desafiou os que querem vê-lo preso afirmando que tem o apoio de "milhões".

"Estão vendendo o Brasil. Não é possível abdicar da Petrobras (...). A Petrobras não é apenas uma indústria do petróleo, é uma indústria de desenvolvimento, um instrumento de desenvolvimento. Milhares de empresas dependem da Petrobras", declarou Lula.

O ex-presidente se referia à abertura da indústria petroleira no Brasil às multinacionais, prevista no pacote de medidas pró-mercado de Temer.

Sobre sua eventual prisão por envolvimento em diversos casos, que vão de corrupção à obstrução de justiça, Lula disse que "podem me atacar, sou apenas um ser humano, que já tem 71 anos, mas eles têm que saber que o Lula não é o Lula, o Lula é uma ideia assumida por milhões de pessoas. Eles não sabem que o Lula já renasceu em milhões de mulheres e homens neste país".

Favorito nas pesquisas para a eleição presidencial de 2018 e também líder de rejeição nas sondagens, Lula acumula sete processos na justiça, e poderá ser impedido de concorrer se for condenado em segunda instância.

Lula já foi condenado, pelo juiz Sérgio Moro, a quase dez anos de prisão por receber um apartamento de suborno da construtora OAS em troca de benefícios obtidos junto a Petrobras.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP