Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas observam memorial às vítimas pelo acidente com o Airbus A320, da Germanwings, tendo os Alpes franceses ao fundo, local do acidente, na última segunda-feira, 6 de abril de 2015

(afp_tickers)

Os médicos alemães do transporte aéreo pediram nesta terça-feira que sejam reforçados os testes com os pilotos, depois da tragédia provocada por um copiloto alemão que jogou voluntariamente um Airbus A320 nos Alpes franceses e matou todas as 150 pessoas a bordo.

"Pedimos que os pilotos se submetam a exames mais frequentes e mais rigorosos", declarou nesta terça-feira o presidente da associação alemã de médicos do transporte aéreo, Hans-Werner Teichmüller, falando ao jornal conservador Die Welt.

"Também é preciso descobrir se há consumo de medicamentos psicotrópicos e de drogas", assinalou, depois que a investigação demonstrou que o copiloto Andreas Lubitz passou por episódios severos de depressão com tendências suicidadas e procurou vários psiquiatras.

Segundo a imprensa alemã, foram encontrados medicamentos contra transtornos maníaco-depressivos na residência do jovem de 27 anos, que jogou, em 24 de março, o avião da companhia Germanwings nos Alpes franceses.

As recomendações de Teichmüller vão além das práticas atuais. O exame a que os pilotos são submetidos todos os anos apenas avaliam a taxa de hemoglobina e, em alguns casos, o nível de açúcar no sangue.

AFP