Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Um cartaz sobre o vírus zika é visto na entrada na assembleia da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, no dia 23 de maio de 2016

(afp_tickers)

(Médicos suíços lançaram nesta terça-feira um registro internacional para contabilizar as mulheres grávidas infectadas pelo vírus zika, para poder identificar da melhor forma possível os riscos que os bebês que vão nascer enfrentam.

O médico David Baud, ginecologista do Centro Hospitalar Universitário de Vaudois (CHUV), na cidade de Lausanne, e seus colegas anunciaram a ideia na última edição da revista médica The Lancet Infectious Diseases.

Mais de 4.000 obstetras do munto todo foram contactados para participar deste registro, informou a imprensa suíça.

Os médicos acreditam que esta lista poderia contribuir para reduzir a incerteza sobre os riscos para a o bebê que vai nascer quando a mãe contrai o vírus durante a gravidez.

Quando ocorre uma infecção pelo zika durante o primeiro trimestre da gravidez, há 1% de risco de que o bebê nasça com microcefalia, segundo cálculos do Instituto Pasteur, que se baseou em dados sobre uma epidemia do vírus na Polinésia Francesa ocorrida entre outubro de 2013 e março de 2014.

Recentemente no Rio de Janeiro foram constatadas anomalias fetais em 29% das mulheres que apresentaram sinais de infecção.

O Brasil é o país mais afetado pelo surto de zika, que começou em meados de 2015 e já registrou mais de 1.700 casos de recém-nascidos com microcefalia, uma malformação congênita na qual o bebê nasce com o crânio e o cérebro menores que a média.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o vírus está presente no leite materno, mas não se sabe se ele pode ser transmitido através da amamentação.

Os pesquisadores do CHUV indicaram que convém determinar esta incógnita, assim como a possibilidade de que o vírus possa ser transmitido pela saliva. Atualmente, sabe-se que o contágio ocorre pela picada de mosquitos e por contato sexual.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP