Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Soldado mexicano em Veracruz, México

(afp_tickers)

As autoridades mexicanas de imigração anunciaram neste domingo que 147 imigrantes da América Central foram resgatados na madrugada de sábado, ao invés dos 178 originalmente anunciados, de acordo com um boletim divulgado pela polícia de Veracruz.

"O Instituto Nacional de Migração (INM) resgatou 147 estrangeiros originários de Honduras, Guatemala, El Salvador e Nicarágua, abandonados sem água ou alimento por supostos traficantes de pessoas", acrescentaram as autoridades em comunicado.

Na noite de sábado, a polícia de Veracruz havia informado que 178 imigrantes centro-americanos teriam sido abandonados por traficantes de pessoas ao norte do estado quando tentavam chegar aos Estados Unidos.

O INM corrigiu o número e ressaltou que entre os imigrantes estavam 48 menores de idade, 14 deles desacompanhados. Afirmou que viajavam em um caminhão em condições de "escassa ventilação, amontoados e sem qualquer (possibilidade de) descanso".

O órgão indicou também que os traficantes os obrigaram a descer do caminhão e exigiram que se escondessem no mato sob a promessa de que voltariam para buscá-los, o que não ocorreu.

O grupo de imigrantes é de 74 hondurenhos, 59 guatemaltecos, 13 salvadorenhos e uma pessoa de Nicarágua, que tinham como objetivo chegar aos Estados Unidos.

No fim de semana passado, 10 imigrantes sem documentos morreram em um caminhão no Texas, no qual tinham viajado juntamente com 70 a 200 pessoas, segundo as autoridades locais. Sete dos falecidos eram de origem mexicana.

Durante a semana também foram encontrados os corpos de cinco imigrantes da Guatemala no Rio Bravo, situado na fronteira entre o México e os Estados Unidos, que faziam parte de um grupo de 12 pessoas que tentavam chegar ao território americano.

AFP