Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, na Cidade do México, em 13 de outubro de 2017

(afp_tickers)

México e Canadá vão continuar na mesa de negociações para revisar o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta), apesar das "propostas duras" dos Estados Unidos, indicaram à AFP fontes próximas às discussões.

Em um sinal da dificuldade para alcançar acordos, os três países anunciaram nesta terça que as negociações, que queriam que terminassem até o fim do ano, serão prorrogadas até 2018.

Os funcionários mexicanos sabem que alguns dos pedidos americanos são "propostas duras", entre elas a cláusula de revisão a cada cinco anos obrigatória que Washington quer incorporar, mas continuarão debatendo um novo Nafta que atenda a todos, indicou uma das fontes.

"O México está consciente de que um acordo ruim não beneficia ninguém e continuará participando das discussões levando isso em conta", afirmou, sob condição de anonimato.

Como prova de seu compromisso, os mexicanos preparam a quinta rodada de debates, que acontece entre 17 e 21 de novembro na Cidade do México.

"O México não vai sair da mesa", disse no fim de semana o ministro de Economia, Ildefondo Guajardo, à imprensa mexicana.

Outra fonte próxima às discussões declarou à AFP que o Canadá também vai manter seu compromisso com o pacto, vigente desde 1994.

"Não estamos de acordo com algumas das propostas apresentadas por Estados Unidos, mas não rechaçamos absolutamente nada e continuamos comprometidos com as negociações do Nafta", indicou, sem detalhar os motivos da controvérsia.

Empresários de Estados Unidos e México disseram, na semana passada, que algumas propostas da administração Trump para o Nafta podem "condenar" um acordo considerado benéfico.

Entre as iniciativas que preocupam, estão o endurecimento das regras de origem e a eliminação do mecanismo de solução de controvérsias, alertou o presidente da Câmara de Comércio dos Estados Unidos, Tom Donohue.

Estados Unidos, México e Canadá concluíram, nesta terça, a quarta rodada de negociações para revistar o Nafta, a pedido do presidente americano, Donald Trump, que o considera uma "desastre" e ameaça deixá-lo.

Trump voltou a sinalizar a saída do acordo na semana passada, ao receber o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, na Casa Branca.

"Vamos ver se podemos fazer as mudanças que precisamos", disse Trump. "Temos que proteger nossos trabalhadores", enfatizou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP