Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

México descarta pagar pelo muro de Trump

(afp_tickers)

O México não pagará pelo muro que o presidente dos Estados Unidos pretende construir na fronteira com os EUA - declarou a Chancelaria mexicana, neste domingo (27), mais uma vez, em resposta aos últimos tuítes do presidente Donald Trump.

"Como sempre manteve o governo do México, nosso país não pagará um muro, de modo algum e sob qualquer circunstância... Essa determinação não é parte de uma estratégia negociadora mexicana, mas um princípio de soberania e de dignidade nacional", afirmou a Secretaria de Relações Exteriores, em um comunicado.

No Twitter, em defesa do muro, Trump disse que o México é "uma das nações com mais crimes no mundo".

Essa violência - rebateu o Ministério mexicano - é gerado pelo "tráfico ilícito de drogas, armas e dinheiro entre nossos países".

Trata-se de "um problema compartilhado que acabará apenas se forem tratadas suas causas: a alta demanda de drogas nos Estados Unidos e a oferta do México (e de outros países)", acrescentou a Chancelaria.

Em seus tuítes neste domingo, Trump disse que, se México e Canadá continuarem tendo uma posição "difícil" na renegociação do Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), ele terá de suspender a participação dos Estados Unidos nas discussões.

Sobre isso, o México respondeu que continuará tendo uma posição "séria e construtiva, sempre pondo o interesse nacional à frente e buscando um resultado, no qual os três países norte-americanos ganhem".

O governo do México "não negociará o Nafta, nem qualquer outro aspecto da relação bilateral, pelas redes sociais, ou pelos meios de comunicação", completou o Ministério, manifestando sua "plena solidariedade com o povo e com o governo dos Estados Unidos pelos danos causados pelo furacão Harvey no Texas".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP