Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O conteúdo do noticiário será produzido na região. Além do México, também vão participar instituições do Brasil, da Argentina, da Colômbia, da Costa Rica e da Espanha

(afp_tickers)

O México vai lançar um programa noticiário científico e cultural associado a outros países ibero-americanos para divulgar temas de inovação e cultura destinados a um público de até 80 milhões de pessoas na região, anunciaram nesta terça-feira as emissoras públicas do país.

O conteúdo do noticiário será produzido na região. Além do México, também vão participar instituições do Brasil, da Argentina, da Colômbia, da Costa Rica e da Espanha.

"Esse informativo busca dar visibilidade às atividades científicas e culturais em uma emissão de 27 minutos em dois idiomas, espanhol e português", disse Gabriel Torres, titular da Associação de Televisoras Educativas e Culturais Ibero-americanas (Atei), órgão que reúne emissoras públicas, ministérios e organismos culturais dos países-membros.

Torres, que é também diretor do sistema de Rádio e Televisão da Universidade de Guadalajara, afirmou que Equador, Honduras, Nicarágua e Chile também mostraram interesse em integrar o projeto.

A primeira emissão do jornal será em 9 de agosto, a partir de Medellín, na Colômbia, por ocasião de uma reunião da Atei. A produção vai seguir no México pelo menos nos dois primeiros anos do projeto.

"Depois, a direção do noticiário poderá circular entre os países e as emissoras que tiverem aderido", disse.

O programa será transmitido via satélite através do Canal Ibero-americano, uma emissora pública da região, e dos canais da rede Edusat, que exibem conteúdos culturais e educativos no México.

AFP