Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente argentino Mauricio Macri em coletiva de imprensa no palácio presidencial Casa Rosada em Buenos Aires, no dia 17 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

A imagem da primeira-dama argentina, Juliana Awada, subindo ao helicóptero presidencial no exclusivo balneário uruguaio de Punta del Este provocou nesta sexta-feira críticas, reprovocações e piadas contra o presidente.

Awada, sua filha e um acompanhante pegaram o helicóptero oficial da presidência no Aeroporto de Laguna del Sauce, em Punta del Este, e de lá voltaram para Buenos Aires, segundo o jornal uruguaio El País.

A notícia ganhou os noticiários argentinos e as redes sociais, que aproveitaram o fato para recordar o uso de aviões oficias por parte da família Kirchner, que esteve no poder nos últimos 12 anos.

"Mauricio Macri parece seguir os passos de sua antecessora no questionado uso dos bens do Estado para o transporte de familiares", criticou o jornal El Clarín.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP