AFP

O presidente francês Emmanuel Macron em Lorient, no dia 1º de junho de 2017

(afp_tickers)

O presidente francês, Emmanuel Macron, avaliou nesta quinta-feira que seu contraparte americano, Donald Trump, "cometeu um erro para os interesses de seu país e um erro para o futuro do nosso planeta", ao decidir retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o clima.

"Lamento" esta decisão. Os "Estados Unidos deram as costas ao mundo", declarou Macron em uma rápida declaração transmitida pela TV.

Em uma conversa telefônica prévia de cinco minutos, Macron tinha dito a Trump que era possível "discutir", mas que "nada nos acordos de Paris é negociável", informou uma fonte da Presidência francesa.

O Acordo de Paris visa a limitar a elevação da temperatura global "abaixo dos 2º C" com relação à era pré-industrial.

Em sua declaração, o presidente francês fez um convite aos "cientistas, empreendedores e cidadãos comprometidos" americanos a viajarem para a França para trabalhar em "soluções concretas para o clima".

Aos quais "a decisão do presidente dos Estados Unidos tiver decepcionado, encontrarão na França uma segunda pátria", afirmou Macron.

"A França não vai dar as costas aos americanos, a França não vai abandonar o combate", acrescentou.

AFP

 AFP