Navigation

Madri segue paralisada após histórica nevasca

Homem pratica ski na praça Cibeles, em meio a uma nevasca em Madri, em 9 de janeiro de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. janeiro 2021 - 10:28
(AFP)

Com escolas, tribunais e museus fechados, ruas transformadas em pistas de patinação, dois dias depois de uma nevasca histórica, Madri e a região central da Espanha seguiam paralisadas nesta segunda-feira (11), sem perspectivas de recuperar a normalidade nos próximos dias.

Surpreendidos pela nevasca mais forte em sete décadas, os moradores da capital, com pás e ancinhos, e as autoridades, com veículos limpa-neve, tentavam abrir a via pública sob um frio céu azul.

"Estamos limpando o caminho com uma pá que eles nos emprestaram, porque a passagem é um pouco insegura, especialmente para os idosos", disse à AFPTV Blanca Fernández, funcionária de uma ótica de Madri, enquanto limpava o gelo entre seu estabelecimento e a calçada.

A tarefa, da qual também participa o Exército, é grande e pode durar uma semana inteira em Madri: por enquanto apenas foram desobstruídas as vias principais e a maior parte das ruas secundárias permanece inacessível.

Com as ruas praticamente sem carros e os pedestres caminhando com dificuldade, o grande inimigo é o gelo, já que nesta semana uma onda de frio se aproxima do centro da Espanha, com temperaturas mínimas de -13ºC na terça-feira.

Camadas extremamente escorregadias se formaram nas calçadas e estradas da capital. Ficou perigoso caminhar e algumas pessoas usavam equipamentos de esqui.

Por toda a cidade, o peso da neve também danificou muitas árvores, que bloquearam estradas.

"Teremos dias complicados pela frente" e "será difícil recuperar a normalidade", disse o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, em entrevista coletiva.

- Atraso "mínimo" na vacinação -

O governo procurou tranquilizar a população, frente a uma preocupação maior: a campanha de vacinação contra a covid-19 não será afetada.

"Qualquer atraso, ou imprevisto será muito pequeno", afirmou o ministro do Interior Grande-Marlaska, garantindo que haverá distribuição das doses para todas as regiões.

Como tem acontecido às segundas-feiras, 350 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech chegaram ao país, um dos mais atingidos pela pandemia, com quase 52 mil mortos.

No entanto, o tráfego de mercadorias para a capital foi seriamente afetado, com interrupções no fornecimento.

"Mercadorias não chegarão até sexta-feira", disse à AFP Gabriel Madrid, gerente de uma loja de calçados no bairro da Prosperidad.

No mesmo bairro de Madri, o fruticultor Omar el Hakkani mostra, em um mercado quase vazio de clientes, que ficou sem produtos como cenoura, alho-poró e repolho, e avisa que se não houver um avanço importante entre hoje e quarta-feira", teremos "problemas de abastecimento mais sérios".

"As pessoas não saem, principalmente os mais velhos. Foi um dia para ficar em casa", disse o açougueiro Javier Bermejo com bom humor.

Batizada de "Filomena", a tempestade também causou fortes chuvas em outras regiões da Espanha e deixou pelo menos três mortos.

- Escolas fechadas -

Para desobstruir as vias, as autoridades distribuíram 277 toneladas de sal aos diferentes municípios da região, e esperam receber outras 3.500 toneladas.

Na região de Madri, os centros educacionais, dos jardins de infância às universidades, ficarão fechados até 18 de janeiro.

Tribunais, museus, centros culturais e bibliotecas ficarão fechados até a quarta-feira.

A coleta de lixo em Madri, por sua vez, continua suspensa desde o fim de semana.

As autoridades insistem em pedir à população que permaneça em casa para não gerar mais problemas e comprometer o abastecimento do comércio, assim como os acessos aos hospitais, em meio à escalada de casos de covid-19.

No total, 116 estradas do país permaneciam bloqueadas nesta segunda, e quase 600 estavam "afetadas" pelo temporal, de acordo com um comunicado do Ministério do Interior.

No aeroporto internacional de Madri-Barajas, fechado por quase todo fim de semana, a atividade foi retomada gradualmente a partir da madrugada de hoje.

Os ônibus de transporte público continuam sem circular em Madri, embora o metrô esteja funcionando.

Os trens de alta velocidade também foram afetados, mas as rotas entre Madri e Barcelona foram retomadas nesta segunda-feira, anunciou a operadora RENFE.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.