Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(15 mai) Manifestação da oposição contra o governo Maduro, em Caracas

(afp_tickers)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta terça-feira que os chavistas são "os judeus do século XXI", ao denunciar a "escalada fascista" contra partidários e familiares de funcionários do governo.

"Somos os novos judeus do século XXI (...). Não carregamos a estrela de David amarela, mas levamos o coração vermelho da vontade de lutar pela dignidade humana e vamos derrotar os nazistas do século XXI", declarou Maduro durante uma reunião do gabinete transmitida pela TV estatal.

Maduro se referia a protestos ocorridos nas últimas semanas contra funcionários e ex-funcionários chavistas e seus familiares no exterior.

Este tipo de manifestação tem aumentado em meio a onda de protestos contra Maduro, que desde 1º de abril já deixou 42 mortos e centenas de feridos.

O presidente encarregou sua chanceler, Delcy Rodríguez, de liderar "uma cruzada (...) nacional e internacional contra o ódio fascista".

Maduro voltou a acusar a oposição de promover o "terrorismo" como parte de um plano apoiado pelos Estados Unidos para derrubar seu governo.

A Venezuela atravessa uma profunda crise econômica, com escassez de alimentos e remédios, e uma inflação estimada pelo FMI em 720% para 2017.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas anunciou que discutirá a crise na Venezuela nesta quarta-feira, atendendo a uma solicitação dos Estados Unidos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP