Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano Nicolas Maduro em Caracas, no dia 23 de maio de 2017

(afp_tickers)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que na segunda-feira enviará uma carta ao papa Francisco solicitando a ele que faça a mediação com a oposição para evitar "utilizar crianças" em atos de violência durante os protestos.

"Estou pedindo (...) ao Papa Francisco que sirva de intermediário para que a oposição venezuelana deixe de utilizar meninos e meninas em atos violentos e em grupos terroristas", disse neste domingo Maduro em um ato em Caracas, transmitido pela rede de televisão estatal VTV.

Maduro disse que deputados opositores, sem identificá-los, recruta jovens para gerar distúrbios nas manifestações que a oposição realiza desde 1 de abril, e que, segundo o Ministério Público, já deixou 66 mortos e mais de mil feridos.

"Lhes dão drogas, lhes dão dinheiro", disse Maduro.

Frequentemente menores de idade com rostos cobertos são vistos entrando em choque com militares e policiais.

Dirigentes opositores responsabilizam Maduro pela violência, ao denunciar uma "selvagem repressão" contra os manifestantes.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP