Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Milhares vão às ruas contra o presidente Nicolás Maduro, em Caracas, em 8 de abril de 2017

(afp_tickers)

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, declarou neste domingo (9) que espera "ansioso" pela convocação das eleições municipais e estaduais, uma das principais exigências da oposição nas ruas.

"Estou ansioso para que se convoquem as eleições de governadores e prefeitos para dar uma surra nessa gente logo, que deixem a arruaça e a violência, para lhes responder com votos", disse Maduro, em seu programa dominical.

As eleições de governadores deveriam ter acontecido em dezembro de 2016, mas foram suspensas pelo poder eleitoral. Ainda não há uma data para sua realização. As municipais estão previstas para este ano, e as presidenciais, para dezembro de 2018.

"Por bem, ou por mal, um governo da direita [modo como Maduro se refere à oposição] não duraria uma semana na Venezuela", advertiu o presidente.

"Um governo da direita na Venezuela que tome o poder pela força seria derrotado com o poder da força cívico-militar do povo em horas, e radicalizaríamos essa revolução bolivariana ao nível mais profundo que a História já conheceu na América", insistiu.

"E, mesmo um governo que vencesse por eleições manipuladas, como foram as de 2015 [quando a oposição assumiu o Parlamento com ampla maioria], quando vier impor seu pacote econômico, esse povo se rebelaria, porque o povo venezuelano está em paz, porque nós o temos em paz", continuou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP