Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

(afp_tickers)

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, cujo país atravessa uma grave crise política, econômica e institucional, estará presente no dia 11 de setembro, em Genebra, na abertura da 36ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, anunciou um porta-voz desta instância.

Maduro pronunciará um discurso aos 47 Estados membros do Conselho, como fez em novembro de 2015, indicou esse porta-voz, Rolando Gomez.

Em 2015, o chefe de Estado venezuelano, que estava acompanhado de sua esposa, denunciou o "assédio permanente" do qual seu país era vítima, exigindo "o maior respeito".

A Venezuela faz parte do Conselho de Direitos Humanos - seus membros são eleitos pela Assembleia Geral da ONU - até 2018.

Esta não é a primeira vez que a maior autoridade de um país fala ante o Conselho de Direitos Humanos.

Mas será a primeira vez que Maduro viaja à Europa desde que o seu país entrou em crise.

Desde abril, as manifestações contra o regime de Nicolas Maduro são quase diárias e já fizeram 125 mortos.

Mais de 5.000 pessoas foram presas, segundo a ONG Forum Penal.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP