Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A instalação em Roterdã interrompeu a produção após um grande incêndio em 29 de julho, que a Shell disse ter sido causado por um curto-circuito em uma subestação

(afp_tickers)

A maior refinaria da Europa voltou a operar após seu suprimento de eletricidade ser restabelecido, depois de um incêndio devastador há mais de três semanas, disse a Shell nesta quinta-feira.

"Os reparos ao fornecimento de eletricidade em Shell Pernis estão praticamente concluídos", disse a anglo-holandesa num comunicado, completando que "a maioria das fábricas na refinaria foram reiniciadas, inclusive aquelas que precisam de permissão das autoridades".

A instalação em Roterdã interrompeu a produção após um grande incêndio em 29 de julho, que a Shell disse ter sido causado por um curto-circuito em uma subestação.

"Estamos investigando as causas do curto circuito", afirmou a Shell.

Bombeiros controlaram as chamas nas primeiras horas da manhã, mas houve também um segundo incidente no dia seguinte, durante a limpeza de uma das fábricas, quando houve o vazamento de um gás incolor e altamente reativo, o fluoreto de hidrogênio.

Esse incidente também estava sendo investigado.

A refinaria cobre uma área equivalente a mil campos de futebol seus encanamentos, se fosse ligados lado a lado, poderiam dar quatro voltas na Terra.

Ela tem 60 fábricas no local e é uma das maiores refinarias do mundo.

A instalação, no porto de Roterdã, pode processar mais de 400 mil barris de derivados de petróleo por dia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP