Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Crianças palestinas sob cartaz que mostra combatente dp Hamas durante um ato de apoio ao movimento islamita no domingo, 17 de agosto, em Rafah, ao sul da Faixa de Gaza

(afp_tickers)

O balanço de mortos palestinos na Faixa de Gaza em mais de um mês de campanha militar israelense superou a barreira de 2.000, anunciou o ministério da Saúde do movimento radical Hamas.

De acordo com o ministério, várias pessoas feridas nos bombardeios faleceram.

Segundo um comunicado, 2.016 pessoas morreram vítimas da campanha israelense iniciada em 8 de julho e 10.196 ficaram feridas.

Entre as vítimas fatais estão 541 crianças, 250 mulheres e 95 idosos, segundo a nota.

O balanço anterior registrava 1.980 mortos. O número atualizado inclui pessoas feridas nos bombardeios que faleceram em hospitais de Gaza, mas também no Cairo e em Jerusalém.

O exército israelense confirmou que cinco dos 64 soldados mortos em combate foram vítimas de "fogo amigo". As autoridades militares não divulgaram detalhes sobre as circunstâncias das mortes.

O governo da Noruega informou nesta segunda-feira que os doadores internacionais para os palestinos se reunirão no Cairo para financiar a reconstrução da Faixa de Gaza assim que for alcançado um acordo para uma trégua duradoura.

Os recursos obtidos na reunião, mediada por Egito e Noruega, serão repassados ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, afirmou o chefe da diplomacia norueguesa, Boerge Brende, cujo país preside o Comitê de Coordenação de Ajuda Internacional aos Palestinos.

AFP