Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Moradores caminham em 2 de julho de 2017 em uma rua de Loudi, na província chinesa de Hunan, afetada pelas inundações

(afp_tickers)

Abundantes inundações causadas por chuvas torrenciais deixaram um balanço de mais de 40 mortos ou desaparecidos no centro e no sul da China, e milhares de pessoas foram evacuadas, indicaram meios oficiais nesta segunda-feira.

Ao menos 16 pessoas faleceram e outras 10 estão desaparecidas na província de Guangxi (sul), anunciou a agência de notícias Nova China, citando autoridades locais.

Milhares de hectares de terras agrícolas foram inundados, cerca de 600 casas desabaram e 6.500 sofreram danos, gerando perdas calculadas em 373 milhões de euros, segundo a agência oficial. Aproximadamente 90.000 pessoas foram abrigadas.

Uma avalanche de lama provocou cinco mortos e quatro desaparecidos no último sábado, na província vizinha de Hunan (centro). Mais de 300.000 pessoas foram evacuadas nessa província após vários dias de fortes precipitações, que destruíram 295.000 hectares de colheitas e 6.000 casas.

Na província vizinha de Guizhou (sudoeste), as inundações deixaram dez mortos desde 22 de junho passado, segundo um anúncio das autoridades provinciais divulgado na semana passada.

Todos estes fatos ocorreram depois de que um grande deslizamento de terra provocou a morte de 10 pessoas e o desaparecimento de outras 73 no mês de junho, causando estragos na localidade de Xinmo, na província de Sichuan (sudoeste).

AFP