Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Edifícios públicos destruídos por ataques aéreos da coalizão sob comando saudita em 24 de julho na província de Saada, norte do Iêmen

(afp_tickers)

Mais de 40 rebeldes e soldados morreram nos últimos dias em combates e ataques aéreos perto da cidade portuária de Moca, sudeste do Iêmen, informaram fontes militares neste domingo.

Os combates se intensificaram depois do ataque das forças governamentais contra o campo militar de Khaled Ibn Al Walid, que estava sob poder dos rebeldes xiitas huthis há uma semana.

O campo fica 30 km ao leste de Moca, a cidade reconquistada em fevereiro pelas forças leais ao presidente Abd Rabbo Mansur Hadi.

Durante a noite, 16 rebeldes e sete soldados morreram em um ataque das forças leais a Hadi, apoiadas pela aviação da coalizão liderada pela Arábia Saudita, contra as unidades do exército leais ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh, indicaram fontes militares neste domingo.

Vinte militares leais a Hadi morreram na quinta-feira em um bombardeio dos rebeldes contra o campo de Khaled Ibn Al Walid.

Desde março de 2015, os combates no Iêmen deixaram mais de 8.000 mortos, em sua maioria civis, e 44.500 feridos.

O cólera, doença que ressurgiu em abril no país pobre de quase 27 milhões de habitantes, deixou mais de 1.800 mortos.

AFP